Música a serviço dos pobres

“O espírito do Senhor Iahweh está sobre mim, porque Iahweh me ungiu; enviou-me a anunciar a boa nova aos pobres, a curar os quebrantados de coração e proclamar a liberdade aos cativos, a libertação aos que estão presos, a proclamar um ano aceitável a Iahweh e um dia de vingança do nosso Deus…” (Is 61 1-2)

À luz deste trecho do livro do profeta Isaías, que depois compreende-se em plenitude no evangelho em Lc 4, 18-21, quando em Jesus se cumpre esta profecia, a Associação Aliança de Misericórdia alicerça o seu chamado de anunciar e levar ao mundo o amor misericordioso do coração de Deus Pai.

O movimento nasceu em 01 de janeiro do ano 2000 quando o Santo Padre e agora São João Paulo II proclamava o Ano Santo do Jubileu da Misericórdia, fundada pelos padres italianos Antonello Cadeddu e João Henrique.

A comunidade, já conhecida por muitos, equilibra de uma forma muito coerente a espiritualidade profunda e carismática na prática da caridade concreta e na atenção preferencial aos mais pobres, no sentido integral da palavra.

Apesar de muitos conhecerem o amplo trabalho social da entidade com moradores de rua, crianças carentes, garotas de programa, mães solteiras e também a inserção nos bolsões de pobreza, acolhida e recuperação de dependentes químicos entre outros, muitos não conhecem a busca em anunciar aos pobres não só socialmente, mas emocionalmente, psiquicamente e espiritualmente. Essa mesma misericórdia que liberta integralmente a pessoa, pois há pessoas que vivem uma pobreza tão ou mais triste que a social. Elas vivem a pobreza da ausência de Deus em suas vidas.

Dentro deste contexto, com o início da comunidade, nasceu também o ministério ‘Aliança de Misericórdia’. Atualmente é composto por missionários da comunidade de vida, missionários de aliança e amigos. Prioriza a identidade e a inspiração fundamental do carisma da Comunidade, que na variedade de estilos preza não somente por uma identidade musical, mas por ser expressão viva do Amor Misericordioso de Deus Pai.

Desde o início, com um estilo particular e uma musicalidade caracterizada por fortes ministrações tornaram-se marca registrada do Ministério, e isso com certeza é constatado por todos aqueles que já participaram das apresentações. “Acima de tudo fazemos uma declaração de nossa verdade, a nossa forma de fazer música que vai além dos arranjos e acordes… que deseja que no todo de nossa arte cada um tenha um encontro pessoal, íntimo e profundo com o inspirador de nossas canções, Jesus Cristo”, comenta Irmã Danúbia do Menino Jesus, vocalista.

Tendo como primeiro e principal objetivo evangelizar para transformar o evangelizado em evangelizador, como ministério missionário se propõe em levar o anúncio do evangelho com alegria e, em saída, como pede o nosso santo padre, o Papa Francisco. De forma secundária, sem ser menos importante, tem por missão tornar o carisma da comunidade mais conhecido e, através disso, arrecadar fundos, doações e conscientizar a todos que ninguém é tão rico que não tenha algo a receber e nem tão pobre que não tenha algo que possa partilhar.

Os membros vivem, por escolha evangélica, uma doação integral e generosa de seu ministério, que na dimensão eclesial compreende gratuidade, o serviço prestado para este anúncio. Nenhum dos membros recebe qualquer valor como cachês ou ajuda ministerial, mas oferecem tudo isso como forma de doação para que a comunidade continue o seu trabalho junto aos mais necessitados. Até mesmo os direitos autorais e artísticos dos materiais fonográficos produzidos pelo ministério são doados voluntariamente pelos seus membros como sinal de generosidade e partilha como gesto de caridade para os fins das obras sociais do Movimento Aliança de Misericórdia.

Quem os convida tem a liberdade, de acordo com suas possibilidades e realidades, oferecer o que for possível para contribuir com a obra de evangelização e ação social. A cada convite é realizada a conscientização desta missão, mas nunca se condiciona o exercício da missão a qualquer tipo de contribuição, alicerçados na Palavra de Deus entendem que: ‘de graça recebeis e de graça deveis dar.’ (Cf. Mt 10, 8b)

Somente no centro de Atendimento para moradores de rua, no bairro do Brás em São Paulo, chamado ‘Casa Restaura-me’, são atendidos mais de 450 moradores por dia com assistência jurídica, atendimento psicológico, oficina de artes, higiene pessoal e duas refeições que somam aproximadamente 27 mil refeições durante o mês. E este é só um dos vários centros que a comunidade tem pelo Brasil. No local é realizada a triagem que permite que aqueles moradores que manifestarem o desejo de deixar as ruas possam ir para uma de nossas casas de acolhida.

Por isso, toda vez que você leva o ministério Aliança de Misericórdia ao seu evento, além de uma ótima musicalidade, a forte experiência oracional de suas ministrações, a profundidade dos conteúdos de suas pregações, o embasamento teológico e doutrinário de suas formações você, com as contribuições que realiza, ajuda e prática um gesto generoso de caridade auxiliando a Associação Aliança de Misericórdia dar continuidade ao seu trabalho junto aos mais pobres.

Leve este ministério ao seu evento na certeza de contagiar o seu público com a alegria que lhes é própria, mas com a profundidade de sua espiritualidade e ainda, diante da colaboração que você possa fazer, ajude concretamente as obras do Movimento Aliança de Misericórdia.

“Tocar no Ministério Aliança de Misericórdia é SER Aliança de Misericórdia. A Aliança me encantou desde o primeiro contato, há 15 anos. Nela aprendi que devo colocar-me no lugar pobre para poder servi-lo”, André Prado, tecladista.

Caso queira conhecer mais acesse o Facebook do Ministério Aliança da Misericórdia
[php snippet=14

Faça um comentário